31 de dez de 2014

Minha carta de amor aos mortos

Genteee!
Eu formei! Finalmente depois de quatro longos anos, eu me formei na faculdade.
Pra fechar o ano compartilho com vocês o discurso que fiz na minha colação de grau. Era um agradecimento aos Pais Ausentes.


Nem sempre é fácil falar de alguém que já se foi. Às vezes porque dói, outras vezes porque as lembranças que se tem não são nossas, foram construídas a partir das lembranças de outras pessoas. 
Mas se numa noite tão especial como essa vamos agradecer alguém que se foi, essa é com certeza uma pessoa que amamos muito. No entanto não é porque se foram, que não estão mais conosco. Porque o amor é assim: onipresente. Sendo possível vivê-lo e compartilhá-lo independente do tempo ou do lugar em que estamos. E a morte é apenas uma travessia, tal como os amigos que atravessam o mar e permanecem vivos uns nos outros.

Hoje somos gratos, por nos mostraram que acreditar em nós mesmos foi importante para que chegássemos até esse momento. Mas sabem de uma coisa? Ter alguém que acreditou na gente fez toda a diferença. Porque somente alguém que nos ama de verdade é capaz de olhar dentro dos nossos olhos e enxergar flores quem até então a gente nem sabia que possuía.

E com vocês aprendemos que aqueles que amamos serão sempre parte de nós. Esse é o consolo daqueles que se amam e embora se diga que morrem, seu amor e convívio estão no melhor sentido, sempre presentes, porque são imortais.


No mais desejo a todos vocês um feliz ano novo, cheio de muito amor, paz e da presença de Deus. 
Uma dica para 2015: Façam de tudo pra ficar com as pessoas que vocês amam. 

Kiss bye até ano que vem!




Nenhum comentário:

Postar um comentário