12 de jan de 2014

Resenha - Garotas de Vidro

Uma leitura desafiante que vale á pena.

Vou ser sincera, a primeira coisa que me chamou a atenção nesse livro foi o preço. Pois é, tenho o costume de ir à livraria sempre que posso. Às vezes só pra olhar os livros e desejá-los. Quando encontro algum livro em promoção, aproveito e compro logo de uma vez. O que não foi o caso desse. Não tinha R$10,00 no dia. #VidadeEstagiário Quando voltei pra comprar, tava esgotado. Fui a outro shopping, tava esgotado, e fiz isso mais três vezes. Por fim, comecei a ler na internet. Quando assustei, já estava acabando.



Livro: Garotas de Vidro
Autora:
 Laurie Halse Anderson
Editora: 
Novo Conceito

Sinopse: Lia está doente e sua obsessão pela magreza a deixa cada vez mais confusa entre a realidade e a mentira. Mas ela perde totalmente o controle quando recebe a notícia de que sua melhor amiga, Cassie, morreu sozinha em um quarto de motel. E o pior: Cassie ligou para Lia 33 vezes antes de morrer. O que começou como uma aposta entre duas amigas para ver quem ficaria mais magra tornou-se o maior pesadelo de duas adolescentes reféns de seus próprios corpos. Ao negar seu problema, Lia impõe a si mesma um regime cruel em que contar calorias não é o bastante. Ao omitir seu desespero, apela ao autoflagelo numa tentativa premeditada de aliviar seus tormentos. Seus pais e sua madrasta tentam ajudá-la a qualquer custo, mas nem mesmo sua doce irmã, Emma, consegue fazer com que Lia pare de se destruir. Agora, Lia precisa encontrar um modo de lidar com todos os seus fantasmas, e a morte de Cassie é um deles. Garotas de Vidro é uma história intoxicante sobre a autorrepugnância e a busca pela identidade. Neste livro, Laure Halse anderson aborda de modo realista a dolorosa condição de jovens que sofrem de transtornos alimentares e sua complicada relação com o espelho e consigo mesmos. 
♠♠♠
Garotas de Vidro é narrado em primeira pessoa por Lia. Que aos 18 anos, filha de bem-sucedidos pais separados, já foi internada duas vezes em uma clínica de recuperação para pessoas com distúrbios alimentares. Lia, vive um conflito entre a mente, o corpo, a sanidade. Enquanto conta as calorias de cada um dos alimentos que consome, em sua cabeça gritam "Estúpida/ feia/estúpida/ vadia/ estúpida/ gorda/ estúpida/ bebê/ estúpida/ idiota/ estúpida/ perdedora/ estúpida/ perdida".

Depois que Cassie sua ex-amiga de infância é encontrada morta em um quarto de motel sozinha, as coisas pioram. Mais um fantasma é acrescentado à sua lista. Enquanto seu corpo luta para sobreviver, Lia vai traçando um caminho para a morte até que "de alguma forma, eu me arrastei para fora do escuro e pedi ajuda".

Garotas de Vidro foi uma leitura desafiante. Um livro intrigante que invadiu meus pensamentos. Lia, se tornou uma personagem de certa forma tangível. No tempo em que levei pra ler o livro, eu às vezes me pegava avaliando a comida à minha frente. Pensando na dor, pensando na realidade de que meninas como a Lia, são muitas. E muitas dessas Lias, são fruto de uma sociedade que cultua certos modelos de corpo e impõe padrões às mulheres desde à infância. 

Lia não tinha a melhor vida do mundo. Talvez em parte, sua vida poderia justificar seus atos, seu transtorno. Mas, tem algo que o livro mostra, é que não importa a situação a sua volta, a cura parte primeiro da sua vontade de se curar. Pra se curar, você tem que querer, e em primeiro lugar, tem de fazer isso por você.

Laurie Halse Anderson é uma escritora sensacional. Quero muito poder ler seus outros livros. Ao optar por contar a trajetória de Lia em primeira pessoa, ela não só transcreveu com maestria, os sentimentos da personagem para o papel, como fez com que durante a leitura seus pensamentos se tornassem nossos. Nas linhas de sua escrita, por diversas vezes nos perdemos entre a realidade e a confusão mental de Lia. E isso é incrível. Uma imersão total no universo do livro. 

Teve gente que criticou a escolha do nome do livro para o português, dizendo que Garotas de Gelo seria melhor. De fato, é apropriado pra história também e tem haver com o nome em inglês, no entanto entendo a escolha de Garotas de Vidro na tradução. Afinal, no Brasil, quando se referi à uma pessoa como sendo gelada, fria quer se dizer que essa pessoa não tem coração, sentimentos ou compaixão. E se assim tivesse ficado o título, teria tirado o sentido do enredo. E assim como o frio que Lia sentia por conta da magreza é diversas vezes citado, igualmente a figura de linguagem Garota de vidro, também o é.

Garotas de Vidro é um livro que mexe com os sentimentos em todos os níveis. Por diversas vezes fiquei com raiva da Lia por ela não querer melhoras. Mas, também fiquei com seus medos, com seus fantasmas. Portanto, é claro que recomendo a leitura. Afinal, o livro é perfeito. Mas, vou logo avisando: não é uma simples leitura para distração.

Kiss Bye!

Nenhum comentário:

Postar um comentário