18 de abr de 2013

Um pesadelo e uma história de amor



Lucy e Hugh se amavam. Mas era um amor proibido...
Então, eles decidem fugir, para que possam viver em paz, esse amor.

Ambos agiram sem escrúpulos. Foram pedir ajuda à velha bruxa da floresta, que por pura maldade, mandou-os para um lugar de tenebrosas paragens, onde muitos entram mas, poucos voltam.

No tortuoso caminho por onde passavam, se perderam um do outro e seguiram rumos diferentes. Lucy encontrou Jamie, um velho cuja sapiência lhe deixou admirada. Ele e Lucy conversaram durante muito tempo. E apesar de estar interessada em todas as coisas que Jamie lhe contava sobre sua vida, suas conquistas e tudo o que havia aprendido em seus anos de caminhada, Lucy queria mesmo era que ele lhe ajudasse a encontrar o caminho de volta para casa e para Hugh. Depois de muitas imprecações de Lucy, Jamie resolve ajudá-la e lhe indica o caminho. Antes de partir, Lucy diz a ele, que jamais se olvidará dele.

Bem distante dali, Hugh tinha suas forças combalidas. Estava cansando, sentia seus músculos repuxarem, devido a longa caminhada que fizera passando por caminhos soturnos, de clima ora hibernal, ora abrasador. Além de toda dor física que sentia, era perturbado também por seus pensamentos. Havia sido adivertido por muitos para não confiar na velha da floresta. Agora, estava arrependido de não tê-los dado ouvido. Eram tantas as suas apreensões que ele sentia esvanecerem todas as suas esperanças, via seus sonhos se transformando em uma fumaça negra que o levava para o mais profundo dos abismos. Pensou consigo mesmo: "Talvez tenha sido uma temeridade, desafiar a todos assim."

Há milhas de distância uma linda jovem tinha o mesmo pensamento. Lucy deparou-se com um grande paredão_ um penhasco, de onde se ouviam lamúrias cruciantes e gritos de ira e súplicas lancinantes. Quando conseguiu chegar ao topo, por um caminho entre as pedras ao redor, encontrou um grupo de pessoas cujo os olhos eram circundados por halos de fogo. Os gritos agora mais altos e agonizantes, eram emitidos por eles. Receosa, Lucy, continuou a andar. Quando viu dois homens, foi pedir ajuda, mas, ambos eram arrogantes e indolentes e tentaram atacá-la. Correndo para fugir deles, Dora acabou entrando na mais densa escuridão da floresta que cercava o lugar. Enquanto corria sem olhar para trás, sentia sua pele sendo arranhada pelos espinhos, a respiração ofegante queimando sua garganta.

Hugh por sua vez, encontrou duas mulheres, de pele muito pálida em corpos delineados e atraentes, na voz mais doce, feito de canto de sereia, elas disseram que o levaria até o caminho de volta. Para fora da escuridão das árvores e da neblina. Segurando em suas mãos, Hugh se deixa conduzir mas, nessa hora Lucy chega, e ao vê-lo de mãos dadas com duas mulheres, senti a cólera do ciúmes lhe subir a cabeça: "Hugh, você acaba de declarar sua guerra contra mim..." 

Foram suas últimas palavras. Lucy foi despertada pela voz suave de sua mãe:
_Aplaca tua ansiedade, este é um dia de festa.

Era o dia de seu casamento com Hugh_ estava feliz. tudo não passou de um sonho ruim. Ele a amava e nada podia mudar isso. Nem uma bruxa. Nada!













Nenhum comentário:

Postar um comentário