9 de abr de 2013

Resenha - A menina que roubava livros





Título: A menina que roubava livros
Autor: Markus Zusak
Editora: Intríseca

 A trajetória de Liesel Meminger é contada por uma narradora mórbida, surpreendentemente simpática. Ao perceber que a pequena ladra de livros lhe escapa, a Morte afeiçoa-se à menina e rastreia suas pegadas de 1939 a 1943. Traços de uma sobrevivente: a mãe comunista, perseguida pelo nazismo, envia Liesel e o irmão para o subúrbio pobre de uma cidade alemã, onde um casal se dispõe a adotá-los por dinheiro. O garoto morre no trajeto e é enterrado por um coveiro que deixa cair um livro na neve. É o primeiro de uma série que a menina vai surrupiar ao longo dos anos. O único vínculo com a família é esta obra, que ela ainda não sabe ler. Assombrada por pesadelos, ela compensa o medo e a solidão das noites com a conivência do pai adotivo, um pintor de parede bonachão que lhe dá lições de leitura. Alfabetizada sob vistas grossas da madrasta, Liesel canaliza urgências para a literatura. Em tempos de livros incendiados, ela os furta, ou os lê na biblioteca do prefeito da cidade. A vida ao redor é a pseudo-realidade criada em torno do culto a Hitler na Segunda Guerra. Ela assiste à eufórica celebração do aniversário do Führer pela vizinhança. Teme a dona da loja da esquina, colaboradora do Terceiro Reich. Faz amizade com um garoto obrigado a integrar a Juventude Hitlerista. E ajuda o pai a esconder no porão um judeu que escreve livros artesanais para contar a sua parte naquela História. A Morte, perplexa diante da violência humana, dá um tom leve e divertido à narrativa deste duro confronto entre a infância perdida e a crueldade do mundo adulto.
 ♠♠♠

"Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler."

Essa frase não poderia ser mais verdadeira. Com uma narradora inusitada Markus Zusak, nos traz uma narrativa envolvente e emocionante. A menina que roubava livros, é uma dessas histórias que nos transportam pra dentro do seu universo sem grande esforço. Nos afeiçoamos às personagens, compartilhamos seus medos, sonhos, e é tudo de forma muito natural. Zusak, fala do holocausto através da vida e da visão de Liesel e também com a contribuição da percepção da Morte. O autor faz isso com um texto simples, em uma sequência que torna a narrativa mais interessante e estimulante.

A diagramação é perfeita e contribui para que a leitura seja mais prazerosa e fluente. O livro é divido em 10 partes, apesar de parecer muito, não é. Cada uma das 10 partes possui pequenos capítulos. Essa divisão em partes e os capítulos pequenos acabam por fazer com que a leitura se torne mais ágil.

Eu me encantei pelo livro antes mesmo de começar a leitura. A frase da capa me chamou muito a atenção. Eu queria saber o que de tão importante a Morte tinha pra contar, e não me decepcionei. Ela me contou uma história incrível. Ela me fez rir com os momentos felizes que Liesel encontrava em meio a todo o caos em que estava o mundo. Ela me fez chorar, diante do horror que era a guerra. Eu chorei (literalmente), com Liesel, compartilhei de sua tristeza frente as atrocidades cometidas pelo nazismo e que por vezes seguidas tinham impacto direto em sua vida. A cada página eu me apegava mais às personagens, mais admirava sua coragem e ousadia. 

Por fim, esse é um livro que eu super recomendo. Sinceramente seja qual for o seu estilo de leitura, acho difícil (impossível), você não gostar de A menina que roubava livros. E para nooossa alegria, de acordo com o site da editora Íntriseca, o clássico escrito por Markus Suzak, vai virar filme. A estreia está prevista para 2014 nos EUA. O diretor é Brian Percival (Downton Abbey) e no elenco temos Sophie Nélisse como Liesel Meminger Geofrey Hush e Emily Watson como o casal Huberman. Eu é claro, fico na torcida para que o filme seja tão bom quanto é o livro.


             


"Sobre a morte... basta saber que, em algum ponto do tempo, eu me erguerei sobre sobre você com toda a cordialidade possível. Sua alma estará em meus braços. Haverá uma cor pousada em meu ombro. E levarei você embora gentilmente..."
A menina que roubava livros







4 comentários:

  1. Ai Ju, várias e várias vezes peguei nesse livro para ler, mas como ele não é muito o meu estilo, sempre fico deixando ele para trás.

    Só uma resenha poderosa como a sua, poderia me fazer mudar de idéia. Fiquei tranquila de saber que ele é emocionante, msmo p quem curte estilos literários um tanto quanto diferentes! rs

    Agora sim.. vou recolocar ele em minha lista para leituras de 2013 xD

    Adorei msmo a resenha e as escolhas dos personagens me parecem interessantes! ;DDD

    E que frase poderosa é essa da abertura e desfecho da resenha... linda msmo! Vou ler.. pode deixar!

    bjokas

    Roberta Sheyler
    http://sonhosliterario.blogspot.com.br/2013/04/resenha-sob-luz-da-lua-andrea-cremer.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roberta, o livro é muito bom mesmo. Você não vai se arrepender.
      Quando fizer a leitura você vai ver que tem muito mais frases e trechos emocionantes. A Morte consegue ser muito sábia e perspicaz ao contar uma história!

      Bjos e boa leitura!

      Excluir
  2. Estou louca para ler esse livro, essa com certeza sera minha próxima compra e quando ela acontecer serei metade feliz (completamente feliz depois que ler).

    Adorei a resenha e sobre o filme espero que não decepcione pois ultimamente ando com um pouco de medo dessas inúmeras adaptações.

    Beijos
    O Suficiente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thayza você realmente ser completamente feliz depois dessa leitura. Eu peguei o livro emprestado mas, quero comprá-lo mesmo já tendo lido, porque adoro olhar pros meus livros na estante. rsrsr

      Quanto ao filme, acho que não vai dar pra ser uma reprodução muito fiel, mas, estou de dedos cruzados torcendo pra que seja, ainda assim, um bela produção!

      Bjos

      Excluir