20 de jan de 2015

Resenha - Liberta-me Tahereh Mafi

"Nos dias mais escuros, você tem de procurar um ponto de luz; nos dias mais frios, você tem e procurar um ponto de calor; nos dias mais desoladores, você tem de manter os olhos para frente e para cima e, nos dias mais tristes, você tem de deixá-los abertos para permitir que chorem. Para então permitir que sequem. Para dar a eles uma chance de lavar a dor, para verem com frescor a clareza mais uma vez." 
Liberta-me


Livro: Liberta-me
Autora: Tahereh Mafi
Editora: Novo Conceito

Na continuação da trilogia Estilhaça-me, Juliette está há uma semana  no Ponto Ômega, após fugir de Warner e o regime vigente no mundo: O Restabelicmento.  O Ponto  Ômega é um lugar, onde todas as pessoas que possuem poderes como os de Juliette se reúnem para aprimorar suas habilidades para lutarem contra o regime. 

As primeiras 50 páginas, digamos a introdução do livro, é marcada pelos conflitos que ela trava contra si mesma. Juliette se fecha no seu mundo de autopiedade, e dúvidas em relação a si mesma e o mundo. O que da uma preguiça e tanto, mas sobrevivemos.

Ela como todos no Ponto Ômega tem que treinar para desenvolver melhor seus poderes, e Kenji a ajuda a entender melhor seu dom. Kenji além de amigo de Adam é homem de confiança de Castle o líder do Ponto Ômega. Assim nasce uma bela amizade entre Juliette e Kenji. E eu estou shippando muito eles, Kenji é um baby love!

A guerra está pra estourar a qualquer momento, e  algumas coisas começam a ser explicadas no decorrer do livro, como por exemplo o por que o Adam pode tocar em Juliette, e por consequência em Warner também. O romance entre Adam e Juliette esta passando por problemas porque aparentemente ele não é tão imune assim ao toque dela. 

Juliette é uma confusão de sentimentos, ainda mais quando Warner pinta na estória.- Gente que pessoa esse Warner!!! Assim como Adam, ele também pode tocá-la, entendemos um pouco mais sobre Warner e seu passado. Até que seu pai, o chefe do Restabelecimento aparece com toda beleza e pompa que a que tem direito, e põe mais fogo no enredo. Na verdade, muitas coisas ficam mais claras nesse livro, o que era de se esperar é claro. Juliette continua com medo de si, mas mesmo assim ela amadurece durante o livro, até por que ela não tem muita opção né, ou vai ou racha! 

O livro começa meio parado, o que não é nenhuma surpresa. Juliette ainda está de adaptando ao seu novo ambiente. Mas o decorrer do livro é eletrizante, emocionante. Uma leitura rápida e envolvente, muito drama, amor e reviravoltas. A autora simplesmente continuou o que fez em Estilhaça-me, com uma escrita envolvente e cativante. Me peguei apaixonada pelo Warner e toda sua bipolaridade, vilões bonitos são um atrativo e tanto. 

Enfim, leiam! Uma das melhores distopias que eu já li. Preciso do terceiro livro rápido.  

Incendeia-me por favor!!!




Nenhum comentário:

Postar um comentário