11 de jun de 2014

#VaiTerCopaSim!


Pois então, amanhã começa de fato a Copa do Mundo. Um evento que mexe com o mundo inteiro. Os olhos e as lentes de todos os continentes estarão voltados para o Brasil. Trinta dias no foco das câmeras mundiais, e sinceramente me preocupa o que será mostrado.

Quando o Brasil foi anunciado como sede da Copa de 2014, eu fui contra (e continuo sendo). Temos assuntos mais urgentes a serem resolvidos. Mas na época, quando ainda não tinha sido gasto todo o dinheiro em estádios que jamais serão usados novamente, em obras de transporte público que a gente sabe que não move coisa alguma, ninguém saiu às ruas para pedir que nossos governantes voltassem atrás, desistissem dessa ideia. Eu, o máximo que fiz foi xingar no Facebook. A verdade é que muita gente aprovou, era o País do Futebol sendo nomeado a sede do maior evento futebolístico do mundo.

Mas aí no ano passado tivemos todas aquelas manifestações, e como muita gente fui pra rua também. Mas, tenho plena consciência de que meu protesto não era contra Copa. Desistir da Copa no ano passado, não traria os quase 1 bilhão de reais gastos no Mineirão de volta. Não faria o Lacerda desistir da ideia ridícula de implantar o Move. Não. Quando eu fui pra rua foi com intuito de que aquilo que ainda pode ser mudado, seja melhorado. 

Não adianta querer parar a Copa. Isso só vai servir única e exclusivamente pra denegrir ainda mais a nossa imagem lá fora. Agora não adianta chorar o leite derramado. Se não queríamos a Copa, que nos manifestássemos antes. Não estou querendo dizer pra que a gente não se manifeste agora. Pelo contrário, ainda tem muita coisa nesse país que precisa ser mudada, mas vamos lutar por batalhas que ainda podemos vencer.

Sejamos realistas: se não houvesse Copa, nós sabemos que o dinheiro gasto não teria sido investido em saúde e educação. Provavelmente estaria nas cuecas de algum deputado por aí. 

Além disso, como todos os jornais falam, a Fifa fala, o mundo fala, essa é a Copa com a maior compra de ingressos de todos os tempos. São esperados turistas do mundo inteiro. E assim como a gente quer ser bem recebido (e reclama quando não é) lá fora, temos que tratar bem os nossos visitantes. Eles não tem culpa da nossa vida ruim. Não sou das pessoas a mais otimista pra acreditar que faremos um super evento cinco estrelas mas, tentar fazer com que seja um fracasso não melhora em nada a nossa situação. 

Manifestar não é errado. É um direito (quiçá até um dever), é parte do processo político, afinal é uma forma de exigir de nossos governantes que cumpram com suas promessas. 

Bem, eu vou vestir minha camisa do Brasil (se eu conseguir comprar uma neh. Porque tá mais fácil achar o bilhete dourado do que uma blusa feminina da seleção barata e bonitinha), e torcer muito porque sim! eu quero o Hexa! 

Kiss bye!



Nenhum comentário:

Postar um comentário