14 de out de 2013

Resenha - Qual o seu número?

"Sexo, sexo, sexo_ pode ser algo que faça o sangue ferver e o cabelo arrepiar-se, ou algo insosso e sem vida. Mas quando é feito com a pessoa certa, no momento certo, pode resultar no melhor presente do mundo."
Qual o seu número?




Livro: Qual seu número?
Autora: Karyn Bosnak
Editora: Novo Conceito

Delilah Darling tem quase 30 anos e já se relacionou com 19 rapazes. Sua vida sentimental não tem sido exatamente brilhante, pois todo cara que conhece parece fugir do relacionamento. Quando lê uma matéria no jornal em que a média de homens para uma mulher de 30 anos é de 10,5, fica desesperada e assustada por estar muito acima dela. Além de tudo, o artigo no jornal terminava falando que, se a mulher tivesse o número acima dessa média, seria impossível a pessoa certa. Na tentativa de não aumentar seu número e perder de vez a chance de se casar, Delilah sai à procura de seus antigos namorados e tenta reconquistá-los. Será que um deles estará disposto a esquecer o passado e começar uma linda história de amor? Qual Seu Número? revela os segredos de cada mulher e prova que, quando se trata de assuntos do coração, números são apenas uma fração de tempo.

♠♠♠


Esse é um daqueles chick-lit que a gente lê e nem vê o tempo passar. Divertido, improvável, o drama não se torna o ponto principal da história, as personagens são bem construídas e o final não é óbvio como se imagina. Pelo menos não foi pra mim.

Depois de ler Casório, da Marian Keys confesso que fiquei um pouco com o pé atrás quando o assunto é chick-lit. Mas Bosnak ao contrário de Keys, soube utilizar bem as muitas páginas que escreveu. Não ficou enrolando, adiando aquilo que realmente importa. Além disso as personagens são muito mais interessantes que as da outra autora. Principalmente a Delilah. Suas falas são engraçadas e embarcar em um carro alugado com ela pra encontrar seus namorados, pode ser uma aventura bem divertida.

Quem não conhece ou, tem uma amiga bem Delilah Darling? Fica com geral e depois vem se lamentando, chorando as pitangas pela burrada que fez? rsrs
É bem fácil identificar alguns personagens na história; a mãe intrometida que vive pegando no pé da filha que já está ficando velha demais pra subir ao altar, a irmã perfeita, o vizinho gostosão (Eu tinha um vizinho gostosão. Ele casou e, não foi comigo.). 

Não vou mentir, continuo achando que chick-lits não necessitam o tanto de páginas que essas autoras insistem em escrever. No entanto, Qual é o seu número? consegue a proeza de justificar suas muitas páginas. Afinal, Delilha vai contar sua história com 20 homens diferentes. Não dá pra fazer isso sem gastar umas paginazinhas a mais.

Além de uma história que vale à pena, o livro tem uma diagramação excelente. Os capítulos são divididos em sub capítulos que facilitam a leitura, são usadas fontes diferentes para as anotações da Delilha, e ainda incluíram um mapa para podermos acompanhar sua jornada pelos EUA, em busca do ex da sua vida. Receberia até 5 estrelas não fosse o final. Quando Delilah volta pra casa, as coisas ficam meio lentas e bem chatas. Lá pelos 3 últimos capítulos a história não me cativou mais, não trazia a mim o menor desejo de continuar a leitura. Sendo assim, o livro leva 4 estrelas.

Pra quem não sabe, Qual é o seu número? virou filme. Eu não assisti mas, só pelo trailer pude perceber que do livro mesmo, só tem o título, o nome das personagens e os números de Delilah, não mais. Além de ser um super spoiler. Eu estava torcendo para Delilah ficar um certo personagem e o trailer fez o favor de contar, sem nem pestanejar, que não era com ele que ela ficava e sim, com outro personagem que nem passou pela minha cabeça. Ainda não vi o filme, mas quando o fizer conto pra vocês o que achei e se é melhor ou pior que a versão literária.

ps: Nem vou colocar o trailer aqui pra não arrasar com leitura de vocês, como aconteceu comigo.


Bjos inté!






Um comentário:

  1. Olá,Julie.

    Eu assisti ao filme e ri bastante mais ainda não tive vontade de ler o livro, mais pelas minha prioridades e milhares de títulos que ainda tenho que ler do que por outra coisa. Também não sou muito fã de chick-lit mais li um recentemente que gostei bastante mesmo sendo água com açúcar de mais e bem previsível, por isso criei a teoria que esse gênero não é para te acrescentar nada e sim para preencher um buraco entre um livro e outro, ou seja, apenas para distrair.

    Adorei a resenha como sempre.

    Beijos
    http://osuficientee.blogspot.com

    ResponderExcluir