8 de mar de 2013

8 de Março - Dia Internacional da Mulher


Hoje é o nosso dia. Dia da mulher que trabalha fora, cuida da casa e dos filhos. Da mulher decisora de compra, que apesar da mesma formação, da grande capacidade ainda recebe um salário inferior pelo simples fato de ser mulher. Daquela que sofre com a violência doméstica, com o racismo, que é vista somente como objeto de satisfação e que sofre pra garantir o prazer de outros.  Da mulher que não tem o direito de ir e vir, que não tem autonomia sobre o seu próprio corpo, que não tem voz, que não tem vez.

Eu poderia pegar um lindo poema sobre a beleza e a delicadeza feminina, e dizer o quanto a mulher é linda sem deixar de ser forte. Isso é lindo no verso e na proza e eu até já escrevi um poema assim, no entanto, na prática o que se vê são números como esses: 

  1. A cada duas horas uma mulher é assassinada no Brasil. (Folha de São Paulo).
  2. As mulheres se especializaram, aumentaram sua participação no mercado mas, ainda ganham 30% amenos que os homens. (IBOPE)
  3. Em 2012 o SUS (Sistema Único de Saúde), atendeu uma média de 2 mulheres por hora vítimas de violência sexual. (BBC Brasil)

Esses são apenas alguns dados, infelizmente existem muitos outros. Pra finalizar, deixo uma música que é perfeita pra ilustrar o momento de luta feminina e expor os estereótipos que a sociedade nos implica.


Pagu Indignada

Mexo, remexo na inquisição
Só quem já morreu na fogueira
Sabe o que é ser carvão
Hi! Hi!...
Eu sou pau prá toda obra
Deus dá asas à minha cobra
Hum! Hum!
Minha força não é bruta,
Não sou freira, nem sou puta...
Porque,
Nem toda feiticeira é corcunda,
Nem toda brasileira é bunda,
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho que muito homem!
Nem toda feiticeira é corcunda,
Nem toda brasileira é bunda,
Meu peito não é de silicone,
Eu sou mais macho que muito homem...
Ratatá! Ratatá! Ratatá!
Parapá! Parapá!
Hum! Hum!...
Sou rainha do meu tanque
Sou Pagu indignada no palanque
Hi! Hi!
Fama de porra louca
Tudo bem!
Minha mãe
É Maria Ninguém
Hi! Hi! Eh! Eh!...
Não sou atriz, modelo, dançarina
Meu buraco é mais em cima...
Porque,
Nem toda feiticeira é corcunda,
Nem toda brasileira é bunda,
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho que muito homem!
Nem toda feiticeira é corcunda,
Nem toda brasileira é bunda,
Meu peito não é de silicone,
Eu sou mais macho que muito homem...
Ratatá! Ratatatá
Hiii! Ratatá
Parapá! Parapá!...








2 comentários:

  1. Concordo com você. Parece que só no dia das mulheres que voltam aquela discussão sobre os problemas que passamos perante a sociedade. Deviam discutir isso todo anos. Ainda muitas mulheres sofrem no Brasil. Precisa haver uma mudança quanto a isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Dasty. O número de mulheres vítimas de abusos (de todos os tipos) cresce a cada dia no Brasil e ngm faz nada pra mudar isso. Uns culpam os homens, outros a sociedade,mas nenhum se posiciona pra ter tentar mudar esse quadro. E os poucos que fazem alguma coisa são criticados.

      Excluir