27 de nov de 2012

Resenha: Delírio

Título: Delírio
Autora: Lauren Oliver
Editora: Intríseca

Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos. Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas. Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?

                                                                         ♠♠♠

Delírio foi o meu livro estreante no gênero distopia. E é o primeiro da série da autora . Por ser o primeiro livro que li sobre o gênero, talvez eu tenha colocado muita expectativa, e por isso me decepcionei um pouco.

A história se passa em um tempo futuro na distópica cidade de Portland (acho que já li uns cinco livros que se passam nessa cidade. O que há de tão interessante lá?) nos Estados Unidos , onde  o governo considera o amor como uma doença grave. A chamada "deliria nervosa". O governo é autoritário e quando o indivíduo estiver prestes a completar dezoito anos,  tem que passar por uma intervenção, que eliminará as possibilidades de se contrair a doença.

Lena a personagem principal, está prestes a completar dezoito anos, e começa a se preparar para passar pela interveção, que decidirá seu futuro. Lena é temente ao Shhh (Suma de hábitos, higiene e harmonia) que é como uma "constituição" com regras, sobre a doença. A mãe de Lena morreu por ter contraído a doença e não ter conseguido cura. Mas tudo muda quando Lena conhece Alex_ o único menino da história_ e começa a rever seus conceitos. Ela  percebe que está sendo moldada pelo governo, e com a ajuda de sua amiga Hana, ela vive novas experiências o que muda os seus ideais.

O livro tem uma estória muito interessantemente  a escrita é bem feita e direta. Mas a emoção só vem no fim do livro, o início é melancólico  cheguei a me irritar com a Lena, e ainda acho que ela é muito chatinha, e desinteressante. Prefiro mil vezes a amiga. Mas amei o final, tão eletrizante, emocionante. E estou louca para o lançamento do segundo livro da série "Pandemônio". Realmente desejo, apesar do nome (rsrs), ele na minha estante assim que lançar.
Aconselho a vocês lerem, afinal, cada um tem um gosto diferente.

                                                                               







Um comentário:

  1. Eu ainda não li nenhuma distopia, queria muito ler, mas essa parece ser bem legal :)

    Beijos
    Saindo da Realidade

    ResponderExcluir