8 de out de 2012

Resenha: Sereia


Título: Sereia
Autora: Tricia Rayburn
Editora: Verus
 
Vanessa Sands, de 17 anos, tem medo de tudo – do escuro, de altura, do mar –, mas sua destemida irmã mais velha, Justine, está sempre por perto para guiá-la a cada desafio. Até que Justine vai mergulhar num precipício uma noite, perto da casa de veraneio da família em Winter Harbor, e seu corpo sem vida aparece na praia no dia seguinte. Os pais de Vanessa tentam superar a tragédia retornando à vida cotidiana em Boston, mas ela sente que a morte da irmã não foi acidental. Depois de descobrir que Justine estava escondendo diversos segredos, Vanessa volta para Winter Harbor, esperando que Caleb, o namorado de sua irmã, possa esclarecer algumas coisas, mas o garoto está desaparecido. Logo, não é apenas Vanessa que está com medo. Winter Harbor inteira fica em alvoroço quando outro corpo aparece na praia, e o pânico se instala à medida que a pequena cidade se torna palco de uma série de acidentes fatais relacionados com a água, em que as vítimas são encontradas sorrindo horrivelmente de orelha a orelha. Vanessa e Simon, irmão mais velho de Caleb, unem forças para investigar os estranhos acontecimentos e, no caminho, a amizade de infância se transforma em algo mais. Conforme eles vão encontrando ligações entre a morte de Justine e a súbita erupção de afogamentos assustadores na cidade, Vanessa descobre um segredo que ameaça seu romance com Simon – e que vai mudar sua vida para sempre.
                                                                            
                                                                      ♠♠♠

Sereia. A primeira impressão: água com açúcar. Livro pra criança dormir.
O começo é um tanto confuso. E parado. E sem emoção. Mas a segunda metade, recompensa todo o esforço de ler as primeiras cem páginas. O desenrolar do enredo vai te levando por um caminho cheio de suspense, onde cada vírgula revela um novo e surpreendente detalhe. A cada parágrafo a imagem de Ariel_ que vem a nossa mente, quase que involuntariamente, quando ouvimos a palavra sereia, vai dissipando, e o livro se mostra cada vez menos como uma estória de ninar.


A forma como é feita a transição de um capítulo para outro, é como em um filme_ quando a tela de repente escurece voltando a clarear em um cenário completamente oposto. Uma revelação importante é feita e o capítulo se encerra ali, e na linha seguinte o cenário é outro. Sem descrição da reação das personagens, sem dizer como foi que eles saíram dali. Na minha opinião, esse é dos elementos fundamentais na construção do suspense na narrativa. Afinal, quando faz isso Rayburn nos permite criar a nossa narrativa. Ela deixa espaço para que a reação a tal revelação seja a quisermos, a rota de fuga, um caminho que podemos criar nas entrelinhas de seu texto.


Gostei da Vaneessa, pela forma como ela conquistou a minha confiaça no decorrer do livro. Ela deixa de ser a menininha bobinha e medrosa que acabou de perder a irmã mais velha, toma as rédeas da situação e vai em busca da verdade sem esperar por alguém que a salve de seus problemas e angústias. Simon é encantador: inteligente, protetor e corajoso _a utopia de toda menina e mulher.

Estou anciosa pela leitura do segundo livro Encanto, mas Sereia ainda está fervendo em minha cabeça.
Em uma frase: Amei o livro! Apesar dos pontos negativos.

Kiss bye!




4 comentários:

  1. A Vanessa é bobinha sim. Simon é um sonho, e esse livro é perfeito. Mas Encanto é bem melhor. Adorei a resenha Ju, tu escreve muito bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. haha Brigada Iara, que bom que vc gostou!
      Vamos ver neh, quanto tempo Encanto vai demorar pra chegar até mim neh! rsrsrs

      Excluir
  2. =D! Brigada Gabrielá! Já tô pensando na próxima pro eu blogg!

    ResponderExcluir